Soja: falta de ofertas e estabilidade geram poucos negócios

06/02/2018 11:16:31

O mercado da soja teve uma semana de poucas flutuações, típica de final de entressafra, com pouco grão para ser negociado. Foram registrados alguns momentos de alta, até o meio da semana, atrelados ao aumento dos indicativos, principalmente devido ao leve avanço em Chicago e à pequena recuperação do dólar.

Os indicativos voltaram a ficar equilibrados alguns dias depois, com queda em Chicago e alta do dólar no Brasil. A presença dos vendedores, no entanto, era fraca, já que há falta de soja no mercado, uma vez que a safra velha já está praticamente toda negociada, e há pouca sobra da safra nova, que vem sendo usada para quitar contratos. Assim, o grão fechou a semana em ritmo de calmaria nos portos, na faixa dos R$ 71,50 aos R$ 72,50, sem expectativa de novos fechamentos. Para os negócios futuros, entre maio e junho, também há poucos vendedores, e indicativos entre R$ 72,50 e R$ 73,00.

Para a semana que entra, os negócios seguem em ritmo lento, com o início do Carnaval, que deve segurar os fechamentos. Para muitos, também significa encerramento do ano velho, para iniciar o novo ano, quando o país efetivamente começa a funcionar, com economia retomada e retorno das discussões no Congresso acerca da Reforma da Previdência. Os operadores também esperam o movimento da Justiça no caso Lula, com julgamento de seus recursos no Tribunal Federal de Porto Alegre, o que pode levá-lo à cadeia e enterrar, assim, sua candidatura à presidência. Isto traria mais tranquilidade ao mercado financeiro, sendo necessária outra opção política como potencial presidente, preferencialmente com proposta de um governo mais enxuto e menos pesado, com diminuição de carga tributária, deixando nossos produtos mais competitivos para o consumo interno e exportações.

Estamos, portanto, a poucos dias de realmente começar o ano novo brasileiro. Enquanto isso, se iniciará, na Ásia, o Ano Novo Lunar. O ano 4.176 será regido pelo Cão, indicando crescimento e prosperidade. O período de comemoração, principalmente na China, se inicia em 16 de fevereiro e dura 15 dias, com pausa dos negócios, que normalmente não fluem nesta época.

Fonte: Vlamir Brandalizze


Siga a Arysta